A criatividade como jornada 

CONCEITO /

Devir é, a partir das formas que se tem, do sujeito que se é, dos órgãos que se possui ou das funções que se preenche, extrair partículas, entre as quais instauramos relações de movimento e repouso, de velocidade e lentidão, as mais próximas daquilo que estamos em vias de devir, e através das quais devimos. É nesse sentido que o devir é o processo do desejo.


D&G, Mil Platôs 4, p. 67

CURSO /

O curso propõe o encontro de conceitos teóricos e práticos sobre criatividade para criar um espaço de investigação e retomada da potência criativa inerente de cada pessoa. É um processo que busca ir além da criatividade como uma habilidade, mostrando que ela pode ser um estado de espírito que pode ser acessado a todo momento. Cada decisão, cada passo, cada palavra que se siga, são momentos em que é possível manifestar e materializar nossas ideias mais naturais e genuínas.

Se você cansou dos métodos, dos livros e dos post-its como abordagens criativas. Se você cansou de ver as mesmas coisas e não acredita mais que existam atalhos. O curso devir pode te ajudar nessa busca mais profunda. Usaremos tudo: mente, coração e tripas.

Devir foi uma válvula de escape. Uma jornada que mistura criação, expressão e música. Seguidamente lembro de uma das falas do Bernardo: “tá tudo bem” e sigo adiante. Parece que funciona.  A experiência vai ficando mais interessante a cada encontro, mas o ápice é o último. Devir vale muito. Uma dica: Esteja disposto.

MAIKON CIRELLA /

Foi libertador e um momento de descoberta de que é possível fazer diferente

FELIPE LEDUÍNO /

ESTRUTURA /

O curso está dividido em quatro encontros

A memória nos dará licença para sermos felizes?

Como se cria em tão pouco espaço e pouco tempo? Existe uma tensão em atender demandas sofisticadas e complexas em ambientes de incerteza crescente: pouco espaço, pouco tempo: crie, crie, crie! Há barreiras, há bloqueios: quais? Onde? Este primeiro momento visa à reflexão do contexto em que estamos inseridos e como é possível abordar a criatividade como uma maneira para novas soluções.

a quem posso perguntar o que vim fazer nesse mundo?

A criatividade como jornada. A criatividade pode estar dentro de voce? Pensar a criatividade como uma retorno ao ser natural pode ser o que falta para quem vive tentando ser mais criativo. É importante reconhecer que todo ser é criativo e pode acessar esse estado. O curso joga luz na importância da trajetória humana e recolhimento de experiências que nos coloquem em contato com uma expressão criativa original.

você vai carregar água na peneira a vida toda

Você está preparado para ir além. A criatividade pode ser cultivada a partir de uma relação mais sincera com o ser criativo que existe em cada um de nós. Entretanto, algumas vezes, é preciso resgatar esse potencial através de atividades que nos tirem da zona de conforto. O encontro com o ser criativo demanda um posicionamento e coragem. Quem quiser se encontrar enquanto ser criativo precisa ir além.

o que aprendeu a árvore da terra para conversar com o céu?

Como expressar o que eu acessei? Seu momento de exploração criativa. Sem pressão, sem medo e sem amarras. Uma oportunidade arcadista, um retorno à liberdade artística através de atividades de experimentação em criação e co-criação. Um mundo a ser explorado em termos de oportunidades.

E SE VOCÊ PUDESSE SER QUEM VOCÊ REALMENTE É, O QUE CRIARIA?

FACILITADOR /

BERNARDO LESO

Doutorando e mestre em engenharia de produção (UFRGS) com ênfase em inovação e tecnologia. Possui duplo-diploma de engenharia de produção pelo INP GI (França) e UFRGS e tem formação em Empreendedorismo pela Babson College (EUA).

 

Atua como professor de criatividade no curso de especialização em gestão da inovação na UFRGS, como consultor de inovação e na coordenação e facilitação de atividades de empreendedorismo (Summer School UFRGS, Despertar Empreendedor UFRGS, etc.).

 

Criador e facilitador do workshop Espiral do Encontro.